Poesia: Sangria

Enquanto o vermelho da minha boca
se descora no cigarro
eu sangro pela caneta.

Poetar
é a sangria desatada
da minha alma.

( Graça Craidy)

3 comentários:

  1. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  2. UAU!
    Vermelho paixão... Paixão pela vida, hein!

    ResponderExcluir
  3. Maninha querida,

    Que alegria ler você.Amei o poema Sangria. Vou ler seu Blog com a calma que merece.

    Saudades muitas,

    Teresa

    ResponderExcluir

DESTAQUE

SOU FEMININA, NÃO FEMINISTA

Cada vez que escuto esta frase bonitinha pero equivocadinha, me dá um desgosto profundo, de ver quão enganadas estão as manas que separa...

MAIS LIDAS